Conheçam a Saga Vale dos Elfos.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Carta Indigesta.


"Bom amigos, esse é um dos meus textos que não considero muito bom, assim, não reparem se também não gostarem muito dele, no entanto, eu o acho pelo menos um pouco engraçado, de um humor negro, eu confesso... Bom, esperem que gostem dele mais do que eu".



Meu caro Arsubanipal, gerente e amigo.Venho eu, com essa carta, lhe fazer alguns pedidos pessoais e coletivos, pois tais serão em beneficio de todos os empregados dessa tão harmoniosa empresa, bem como há de melhorar a nossa produtividade e os lucros de tal companhia, o que há de lhe beneficiar, talvez lhe garantindo um possível aumento de salário ou uma promoção.
Tais pedidos são simples e não implicarão em grandes prejuízos para ti, e nem lhe exigirá grandes esforços. Antes que o nobre amigo me julgue como alguém egoísta e mesquinho, digo e afirmo com ênfase que faço tais pedidos em beneficio da coletividade, e visando unicamente o bem estar de todos, inclusive o teu, caso contrário não o faria, pois não sou daqueles homens de estirpe biltre que com uma atitude ímproba é inescrupulosa pede beneficio para si de maneira desonrosa, mediante a algum tipo de ameaça que comprometa a integridade moral daquele a qual tal obséquio foi requerido.
Pois bem, vamos aos pedidos:
Uma maquina de café gratuita em nosso local de trabalho, meia hora a mais de horário de almoço; aumento gradual de nosso salário; maior participação nos lucros da empresa; 14° salário; e é claro, uma quantia com um valor simbólico de 1000 reais em um lugar ainda a combinar como gratificação pela minha idéia, que modéstia à parte, é brilhante; e mais qualquer outra coisa que eu vier a lhe pedir daqui por diante, onde lhe comunicarei por carta anônima como essa.
Quero pedir-lhe também que de maneira alguma penses que tais pedidos se constituem como algum tipo de chantagem, pois o que esse é verdadeiramente é uma troca de favores, uma vez que eu lhe fiz amavelmente a gentileza de não deixar que o nosso patrão visse a fita a qual tu extravias dinheiro da empresa; e também não deixei que uma segunda fita chegasse até a tua casa, cujo conteúdo da mesma se constitui em um ato ilícito cometido por ti, juntamente com duas meretrizes, e também em algumas freqüentes visitas que fizeste em um lupanar.
Sei que não haverá problema para que o nobre colega realize tais pedidos feitos por mim em nome da coletividade, uma vez que toda essa filial a qual nós trabalhamos é inteiramente subordinada a ti. Uma vez que esses humildes e simplórios pedidos não sejam cumpridos, deixarei de lhe fazer o favor de não deixar que as fitas citadas aqui cheguem em mãos que comprometerão a sua vida profissional e pessoal drasticamente, e talvez lhe levem até a cadeia.

Um abraço apertado de seu grande amigo que só não lhe diz quem é por não gostar de ser reconhecido por tão geniosa idéia e pelos favores prestados a ti.



Texto de: Átila Siqueira.

6 comentários:

Roberta disse...

Olá Atila,tudo bem???
Desculpe-me a demora em retribuir sua visita ao meu cantinho,infelizmente não tenho tido muito tempo...
Estou colocando o seu link no Afrodite,gostei muito daqui viu rs.
Voltarei mais vezes.
Beijos e bom dia

Dominique disse...

Lúdica e sárcastica esta brincadeira, sabia? Exatamente como a imagem da carta do baralho também mostra! :)

Engraçado, estou lendo um livro que fala justamente sobre esta "carta indigesta": o curinga. Chama-se, obviamente, O Dia do Curinga. Mas isso você já sabe. O que tem de interessante nisso é que o curinga é o azar e a sorte numa mesma carta de jogo. Ele decide para o bem e o mal uma situação. Como neste seu texto em que uma chantagem pode surtir efeitos devastadores, porém benéficos para quem, lucrar com a chantagem.

Sabe que sou fã de seus escritos. E adorei ver este post. Faz lembrar com nostalgia das aulas de Pesquisa e Prática I. Que saudades do Matheus!...

Parabéns por mais este post!

Um abração carinhoso para você e até a próxima!

Dominique disse...

Oi, voltei. Que bom que gostou do final do conto!

Sua opinião é muito importante para mim, Poeta! Assim, muito, muito obrigada pelo que disse no Dominus! :)

Um abração!

Lizzie disse...

Sabe, Átila...Gostei do humor-ácido do teu texto. A chantagem, o emocional envolvido com o humor e a repugnância de atitudes, gostei realmente.

.
.
.
Fico pensando...Acredito que somos todos [nós] como curingas...
Ou a carta que faltava no baralho, ou o pior inimigo do batman.
Cabe ao alheio a escolha, né?

Beijocas.
Estarei linkando-o muito em breve.

www.lizziepohlmann.com

Aninha disse...

adorei o texto!
está bem explicita a ironia do remetente
ps: quem me dera conseguir fazer estes pedidos ao meu patrão
ahauahuahuah
Bjs
=D

Pavitra disse...

ahahahahaa... adorei a carta!

estou lendo por aqui, átila...
vejo que vc realmente adora poesia (e literatura)
vou acompanhar vc!

um abraço!