Conheçam a Saga Vale dos Elfos.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

50 anos da Revolução Cubana.



Há cinqüenta anos atrás
Houve a mais bela
Das revoluções.

O proletariado se levantou
Contra seus opressores,
Tomou o poder,
E os bens de produção.

O grande líder, Fidel Castro
Voltou triunfante
De seu exílio no México,
Com o seu movimento revolucionário,
Que desembarcou em Cuba
Com uma grande missão.

Queria libertar o povo
Da mão do algoz Fulgêncio Batista,
Da influência dos Estados Unidos,
E fazer daquele lugar,
Que não passava de um Cassino
E deu um prostíbulo,
Uma justa e igualitária nação.

O início da luta foi difícil,
E os revolucionários
Tiveram de se refugiar
Em meio à floresta,
Onde lutaram com
Táticas de guerrilha
E assim venceram muitos pelotões.

E com o apoio do campesinato
E do proletariado
Aos poucos o movimento cresceu
E tomou uma vasta região.

Fazendas foram tomadas dos
Latifundiários e divididas entre o povo
Que viviam ali sob o julgo
Dos fazendeiros
Na mais terrível exploração.

E na Sierra Maestra
Ocorreu decisivos combates,
E o lugar foi feito de base militar,
Que sustentava os revolucionários,
Dando-lhes provisões.

Che Guevara ajudou a organizar
Essa base militar,
E deu para o movimento
Uma grande contribuição.

E, logo, quase toda a ilha estava tomada
E Havana estava cercada
Pelos revolucionários batalhões.

Fulgêncio Batista e sua corja
De sangue-sugas
Já haviam fugido de antemão.

E para completar a vitória
Do grande líder Fidel,
Seus guerrilheiros tomaram
Uma locomotiva dos capitalistas,
Carregada de armas e munição.

E não tardou para que Fidel
E seus companheiros
Adentrassem Havana
Em meio a aplausos do povo
Que os recebeu com lágrimas nos olhos,
E com esperança no coração.

E digam o que quiserem de Cuba
E da revolução cubana,
Mas o que eu sei é que naquele país
Há igualdade, saúde e educação.

E eu preferia viver em um país
Onde todos são pobres,
A viver em um país onde eu sou pobre,
Enquanto meia dúzia explora
O trabalho alheio e passeiam
De carro importado do ano,
E vão para a Disney,
Passar as férias de verão.


Átila Siqueira.


"Fiz esse poema na ocasião dos 50 anos da revolução Cubana, e só tive a oportunidade de postá-lo agora. Eu espero que gostem. Aproveito a oportunidade para divulgar dois blogs: Nas asas da Fênix, que pertence a uma amiga muito querida para mim; e Fanbooks, do meu amigo Yuriking, que comenta sobre livros".


"Outra notícia: o meu livro, Vale dos Elfos, se encontra de promoção no site de minha editora, pelo preço de 29,51. Quem desejar adquiri-lo, pode entrar no site: http://www.biblioteca24x7.com.br/, na sub-área Fantasia".

18 comentários:

.: Phoenix :. disse...

Em primeiro lugar... o poema ficou fodástico!
Também adoraria viver em um país de igualdade social.

Segundo... não tenho palavras para agradecer tua amizade. Foi um presente fabuloso ter te conhecido.

Adoro-te, meu amigo querido.

Mai disse...

Átila para falar desse teu post terei que parafrasear Lenin no pensamento que abre teu espaço -
"Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só..."

Diferentemente a Revolução Cubana ainda é a realidade mais 'contundente' e REAL de todos os sonhos de um povo unido.

Belíssimo.
Belíssimo!!!


Carinho, sempre.

Carolina Martins disse...

Nossa, bem legal. Sabia pouco demais sobre a revolução!

beijo

Pelos caminhos da vida. disse...

Mais um presente esperando la por vc.

beijooo

Mr. Ziggy disse...

Querido Átila,
Gostei desse tom épico do seu poema e do conteúdo histórico registrado nele. Importantíssimo, inclusive!
Desejo-lhe sucesso com o seu livro.
Abraços!

. fina flor . disse...

estive em Cuba, querido e posso dizer: as coisas não são tão belas quanto se pinta.... =/

beijos e bom fim de semana,

MM.

Luana Ferraz disse...

Muito bom!


beijos

Caféína disse...

Pôxa, obrigada pela visita
gostei daqui...

Tamires ________ disse...

Meu querido!

Sei que estou em dívida contigo.
Mas estou passando pra dizer que mesmo 'invisível, SEMPRE estou por aqui. Acompanhando teus passos. Vendo o percorrer do teu sucesso. Da luz.

Este texto foi profundamente belo. Mesmo. Até porque trata de algo real. Diferente de meus devaneios.

E viva a revolução Cubana!

Saudades
Meu beijo,
Tamires.

Luciana disse...

Oi Átila, gostei do comentário rsrsrs, se eu pudesse mesmo ficar o dia todo vendo filme eu iria adorar hehehe, a alguns anos atrás eu tinha tv a cabo da Net e tinha 5 canais de filmes, seriados etc, e eu chegava do trabalho cedo e ia ver filme eu não tinha computador na época por isso assistia muito filme e seriado e também fiz um trabalho temporário em uma locadora de vídeo foi ai que começou a minha paixão mesmo por cinema, tem alguns filmes que eu assisto na televisão outros em DVD.

Obrigada pela visita.


Abraços e uma boa noite de domingo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Gostei do peoma, Átila. Obrigada pelos comentários aos meus Poemas da Renata. Postei no Galeria e gostaria muito que fosse apreciar a minha postagem.
Um abraço,
Renata

Karine disse...

Olá...
Tudo bem?

Gosto muito de poemas com conteúdo histórico como este seu. Muito bom.

Abraço.

§ρΗІПЖ disse...

Olá Átila,

Em primeiro lugar, parabéns pelo teu blog.

Em segundo e não menos importante, tomei a liberdade de divulgar teu livro em meu blog, afinal somos conterrâneos...rs

Um Grande abraço e sucesso pra ti

E sou seguidor agora também

NAMASTË

§ρΗІПЖ

Carla Silva e Cunha disse...

bela junção de história com poesia
beijos de Portugal

Carla Silva e Cunha disse...

gostei

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia Átila.

beijooo.

Patty disse...

Você tem o dom, querido poeta. Até história cheia de conflitos fica doce nas tuas palavras. Beijo de saudade!!!

Anônimo disse...

Uns gostam da cor dos olhos outros da remela. Nivelar por baixo, nao acredito no que li.