Conheçam a Saga Vale dos Elfos.

sábado, 6 de dezembro de 2008

O Naufrago do Amor.


Venho deixando
A maré me levar.
Levar o meu destino,
Pois não consigo
Mais remar.

Mas a maré parece
Estar contra mim,
Levando-me
Para o caminho inverso.
Tirando-me
Do rumo da felicidade.
Jogando-me
Contra os rochedos.
Jogando-me
Contra os corais.
Dessa forma eu não mais
Posso agüentar.

Penso no que fazer.
Em um novo caminho a tomar.
Mas não encontro resposta.
Eu não encontro um caminho
Na imensidão do mar.

Enquanto não encontro
Um caminho
E as forças
Para voltar a remar,
Vou deixando
A maré me levar.
Sem direção,
Vou seguindo
Qualquer caminho
E vendo as tempestades
A me destroçar.

Peço respostas
E encontro mais dúvidas.
Peço ajuda
E encontro novos problemas.
Peço proteção
E encontro mais inimigos.

Até quando eu suportarei
Essa vida de incertezas
Sem um caminho a trilhar?
Como fui me deixar perder
De meu caminho,
Dos meus sonhos,
Do meu porto seguro,
Daquilo que era tudo
O que eu sempre quis?

Fico esperando que a sorte
Venha a me salvar.
E enquanto eu não retorno
Ao meu caminho,
Vou deixando
A maré me levar.
Vivendo a mercê do destino
Nessa imensidão que é o mar.

Átila Siqueira.

"Essa é uma repostagem de um dos primeiros poemas que coloquei nesse blog. Espero que gostem".


"Esqueci de indicar um blog, como sempre costumo fazer quando posto minhas poesias ou meus textos. Assim, faço isso agora: Da última vez indiquei o blog de minha amiga Jaya, uma excelente escritora. Agora indico o blog de minha amiga Tamires, uma poetisa por demais talentosa, e que tem muito futuro se continuar a escrever como anda fazendo. O blog dela se chama: Pés Descalços.".

31 comentários:

Caroline disse...

extremamente belo! vir aqui é garantia de leitura da melhor qualidade, hein moço? adorei.

=}

um beijo!

ps:justo hoje, que eu acordei me sentindo um barquinho amarelo...

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Grande Átila!

Adorei seu poema, muito profundo de uma pessoa que não merece naufragar... Reme, nada e faça o que puder...

MAS NÃO DEIXE A MARÉ TE LEVAR...

A maré nos leva para onde ela quer e não para onde nós queremos. Aquele que luta contra a maré, alcança o local desejado!

Excelentes palavras de um cara bem sentimental. Gosto disso, sentimentalismo!

Abraço rapaz!

Mai disse...

Olá, Átila.

Como não gostar de um poema que espelha os sentires de tantos e muitos amantes, amadores, poetas e leitores?
Mas fico pensando, com a força de quem escreve um poema tão belo, o que submete o poeta?
O que impediria que tomasse às mãos o timão do barco e a direção do navegar?

Vou continuar pensando. Teu poema e a força dele, me deixaram pensativa.

Carinho, sempre.

Pelos caminhos da vida. disse...

Falar o que do poema de um gde poeta,parabéns Atila,muito bonito.

Otima semana para vc amigo e,obrigado pela sua visita.

bjs.

Mariáh Schäfer disse...

oi, voltei com meu blog :')
mas então, esse poema e muito bunito, as coisas do coração são sempre as mesmas, os mesmos medos e anseios... adoro ler sobre ele :')

beijinhos

Frαncy; disse...

Olá! =)
Olha, obrigada MESMO por todas as visitas ao meu blog, rs. Fico feliz quando gostam do que escrevo e me sinto até envergonhada com seus elogios :)

Eu realmente adorei ler este seu poema. Senti que, para mim, essa maré é como o destino dessas nossas vidas. A gente tenta mudar, a gente 'deixa pra acontecer naturalmente'... Mas sempre, sempre tem uma saída, pra tudo. Reme, nade, faça o que for... Não deixe que ela te leve =)


um beijinho! :*

Glau Ribeiro disse...

Ei querido,

Eu gostei do texto, apesar do ar tristonho que perambula em volta das palavras. Espero que teu personagem não espere a sorte o salvar. Ele vai perceber que os sorrisos só depende dele mesmo. Nééé? =)

Beijos!

Daay disse...

oi! tava aí vagando pela net e achei o blog! adorei o poema *-* é muito bonito. esse mar imenso é nada menos que a nossa vida, não é? nos levando à caminhos diferentes todo dia...
adorei :)

beijo :*

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia!

Tem selinhos lá para vc.

bjs

Carolzita! disse...

Lindo poema. O mar e o amor se completam. Ambos são um perigo, mas quando o avistamos não queremos mais largar. E são os que mais nos remetem à solidão...

Conde Vlad Drakuléa disse...

Flap!flap!flap! Pousei e adorei!

Sensacional meu amigo, vosso blog ´de um bom gosto visual e textual único!!! Adorei aqui... E esse poema! Fantástico também!

Estás de parabéns, dá gosto ver um blog assim...

Um grande abraço do conde, voei, Flap!Flap!Flap!

Conde Vlad Drakuléa disse...

P.S. Concordo com o Honorável samurai, "jamais permita que a maré vos leve"!!!

Grande abraço :) E que Thor e Odin, ao lado de Freya vos protejam sempre!
OOOOOOOdin!!!!

Pelos caminhos da vida. disse...

Passando aqui para deixar um abraço e um bom dia amigo.

beijooo.

Karine disse...

Grande Átila..

Belos versos...
as vezes ficamos assim, sem saber em que porto ancorar, navegando sem rumo certo...


Um beijo.

Senhorita Drika disse...

Olá, escritor!

Eu também sou escritora!Sou autora do livro "Diário de Rabiscos"(ícone editora). Amei seu poesia. Eu já passei muito por isso, mas tenho muita vontade de viver. Já me senti afogar em melancolias, em desventuras, em tristezas. Mesmo assim, eu procuro manter-me firme.Me identifiquei com seu poema!
Podemos conversar?
meu msn é senhorita-drika@hotmail.com

e meu e-mail é drika-lissandre@uol.com.br


Au revoir.

naná disse...

Hola Átila, qué tal, cómo estás? espero que este poema sea antiguo y que no te sientas así de triste y desolado; me hiciste acordar a la película Naufrago, que al final habla de lo que ha de traer la marea.
Bueno, sé que estás ocupado pero me gustaría recibir tu visita en mi blog, un saludo y nada más.
Un abrazo.
naná
PD: a pesar de que nunca hemos hablado te siento mi amigo, así que podés contar conmigo para lo que necesites.

Roberta disse...

Olá, é sempre muito bom passar por aqui e ler cada linha do seu blog.Fico encantada...
Beijo grande.

Pelos caminhos da vida. disse...

Vim agradecer seu carinho,obrigado amigo.

Hoje fiz uma postagem especial para um amigo blogueiro,gostaria de contar com sua presença lá.

beijooo.

Tamires ________ disse...

Átila,

Me desculpa pelo sumiço?

As coisas estão meio corridas ultimamente, apesar de não justificar ficar sem passar por teus lindos versos, tão cheios de encantamento.
Agora estou passando pra comentar,rs.

Lindo por demais, viu?
Essa coisa de mar, de brisa soprando, muitas vezes contra a gente, mas assim mesmo, nunca deixando de soprar... Deixando incertezas? Sempre. Tenho um amigo que sempre diz que o pior é se fosse um marasmo. Eu concordo com ele. Façamos valer a pena até mesmo as dúvidas e as tempestades. Como diz o dito antigo, após a tempestade, sempre vem a calmaria...
Deixamos que o destino faça então a sua história. Sua coincidências, seus desatinos, suas dores, mas acima de tudo, seus suspiros.


Beijos, querido amigo.

E ahhhhhhhh... Que coisa linda vc fez... Indicou os Pés Descalços aqui! Um tantão de obrigados! Se um dia ele conseguir vir a ser um pedacinho daqui, já estarei feliz! Thank you!!!

tecatatau disse...

muito bom, com fôlego, mas com simplicidade.

Kakau disse...

Muito bonito poema.


"Vivendo a mercê do destino
Nessa imensidão que é o mar"

Adorei :}



Beijos
=***

Mariáh Schäfer disse...

ó sim, gostei muito dos poemas do seu livro :)
espero que tenha muito sucesso :)
seus poemas são muito profundos e bunitos...

beijos

Frαncy; disse...

Olá! =)

Como sempre, seus comentários em meu blog me fazem muito bem! Obrigada pelas visitas e comentários, sempre!

Fiquei imensamente feliz por você ter me passado seu email e MSN! Já te adicionei, mas não te encontrei online ainda :/ Quando costuma entrar?
Obrigada por ter oferecido ajuda, também, rs. Seria muito bom ver um de meus sonhos realizados com a ajuda de um escritor que admiro tanto!

Ps: Se quiser mandar email também, enquanto não nos encontramos, meu email/msn é: francy_ss2@hotmail.com


beijos! :*

Ariana disse...

Também estou deixando a maré me "levar"

Lindo poemaa!
Adoro passar por aqui!


Beijo

Carla Silva e Cunha disse...

adorei
carla

Ana disse...

querido amigo, mais um poema seu q eu admiro tanto
vc sabe colocar as palavras exatamente no momento apropriado
hehe
adoro XD

bjxxx

Inominável Ser disse...

Estes versos são como as ondas de um mar de verdades que batem ultraviolentamente nas almas que com eles se identificam... Bateram n'alma minha, são versos guerreiros, de um guerreiro eternamente incansável... São versos cujo tempero é a coragem e a essência a alta roupagem digna dos que sempre se erguem de todas as quedas... Versos de um poder incrivelmente revigorante dos que acreditam que não pode haver novamente a chance do reerguimento existencial.

Agradeço-lhe pela visita em meus blogs, Átila, e passarei a acompanhar o vosso, tu escreves com uma ânsia guerreira impressionante e me interessei em adquirir o vosso livro.

Jaya disse...

Os versos não soaram nada otimistas. Mas, me fizeram lembrar do seguinte:

"Que bater primeiro
A dobra do mar
Dá de lá bandeira qualquer
Aponta pra fé
E rema..."

(Dois Barcos - Marcelo Camelo)

Vamos remar, Átila.
(:

Beijocas.

Pelos caminhos da vida. disse...

Um semana de muita luz amigo.

beijooo.

Christi Xavier disse...

Olá Átila, belíssimo texto, vim desejar uma ótima semana pra ti, e te falar, uma semana já, bora postar amigo

Precisamos de suas palavras aqui

Grande beijo,

Chris

Xanddhi disse...

Ola amigo..gostei de verdade de seu blog...Sabe,que quando escrevo sinto-me em estado de transe..e é uma coisa inexplicável....Muito obrigado mesmo..Fique com DEUS!!!!