Conheçam a Saga Vale dos Elfos.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Canção de Algoz Domínio.


Minha terra tinha palmeiras
Onde cantava o sabiá.
Hoje tem
Coca-Cola e Mc Donalds
Que exploram nossos recursos
E que ao nosso povo
Não se cansam de roubar.

Minha terra era rica,
Mais rica
Que qualquer outro lugar.
Hoje o meu povo
Foi tão roubado e explorado
Que já não tem
Nem aonde morar.

O sabiá já não mais canta,
Pois a floresta onde ele morava,
Vieram os ianques e os militares
Com a trans-amazônica,
E não hesitaram em a derrubar.

Agora o pobre pássaro
Tornou-se proletário,
E ao invés de cantar
Sob a folha da palmeira,
Agora na cidade,
Como um escravo,
Tem que trabalhar.

Pobre povo brasileiro.
Pobre sabiá.
Explorados até a morte
Pelo mal estrangeiro
Que chegou do além mar.

Se Gonçalves Dias visse isso,
Com toda certeza
Não iria gostar.

Não iria gostar
Do que fizeram
Com as palmeiras,
Com o povo brasileiro,
E nem com o sabiá.


Átila Siqueira.

"Esse é o poema que vai sair na Câmara Brasileira de Jovens Escritores, na Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos 49º volume. Ela estará também disponível online no site:
http://www.camarabrasileira.com/, em breve. Como podem perceber, essa é uma adaptação do poema de Gonçalves Dias, chamado Canção do Exílio.
Tentei fazer uma versão do século XXI da tão famosa poesia, mostrando a perspectiva de vida que temos hoje, em detrimento daquela do século XIX, em pleno romantismo. Espero que os visitantes desse blog apreciem.
E só um detalhe, a foto foi tirada na frente da minha casa, por mim mesmo, e é de um dos pássaros que eu alimento aqui".

21 comentários:

Glau Ribeiro disse...

Ai Átila,

Que coisa linda! To aqui que não me encontro.

Ai Gonçalves Dias... Ficaria tão triste com toda essa realidade. Pobrezinho Sabiá!

Parabéns pela conquista de colocar teu texto na Câmara Brasileira de Jovens Escritores, MERECIDO muito! Arrisco dizer que foi uma das coisas mais lindas que encontrei por aqui nos meus passeios.

Infelizmente nosso sabiá se sente constantemente preso, estando solto.

Mas que bom ter pessoas como você pra nos fazer refletir sobre isso. E tomara que esse texto não pare de alcançar as pessoas. "De uma semente, nascem grandes frutos"

Bju meu sempre!

Janaína S. disse...

Não dá nem pra comentar a sensibilidade e a imensa criatividade do poema.
Se Gonçalves Dias visse o nosso Brasil, realmente não ia gostar... mas se visse o seu poema, ficaria orgulhoso do dele ter sido inspiração.

Parabéns.

naná disse...

Átila, tu tierra sigue siendo rica, sólo hay que hacer que los mecanismos sociales y la conciencia de la gente funcione; sé que han desaparecido muchos animales , los montes son arrasados y los ríos contaminados diariamente, mas no abandones la esperanza, todo puede cambiar para bien.
Si podés pasa por mi blog y sabrás de mi lucha también.
Un beso.
naná

Cristiane disse...

Olá Átila,
Muito criativo seu poema. E ele me trouxe a boa lembrança da canção do Exílio.

Obrigada pela visita, e volte sempre, aliás, tem post novo!
Uma linda semana para você!

Mariáh Schäfer disse...

sim infelizmente nossa realidade anda muito triste... mas esse poema consegue embalar com uma leveza :]

beijos

Mariáh Schäfer disse...

é realmente triste como anda isso aqui :/
mas vc enbalou tudo de uma forma muito bela...

beijos

p.s. eu havia escrito um comentario grande mais ai tive duas vezes problemas com o codigo :/

Edna disse...

Que belo poema. Ele deixaria Gonçalves Dias feliz. Pena que seja um poema triste, falando das coisas ruins que aconteceram com nossa terra maravilhosa. O bom é que com poemas como este podemos fazer as pessoas refletirem sobre os problemas e ajudarem a resolvê-los.

Beijos

Janaína S. disse...

Muito obgda!
está convidado a voltar sempre que quiser, tá?!

...

:D

Murillo Leal disse...

Obrigado pela visita passe lá sempre!

Qnt ao texto seu,

voce me lembra Drummond e suas ironias.Parabens!

na busca do perfeitos,infelizmente somos(brasileiros) um fracasso!

grato!

murilloleal.blogspot.com

Janaína S. disse...

ah, eu linkei seu blog lá, tá?!

abração!

Beatrice disse...

gostei do seu poema, onde retrata a actualidade do povo brasileiro.

tenho algo para você lá no meu espaço.

um beijo

viva ou exista disse...

parabéns pelo blog...

parabéns pelo poema


sucesso

té mais
abraço

Késia Maximiano disse...

"Se Gonçalves Dias visse isso,
Com toda certeza
Não iria gostar."


E não ia mesmo...
Belo poema..
Bjs

Mariáh Schäfer disse...

aa seu passaro é muito bontinho (:
que legal você alimentar ele :)

beijo ;*

menta disse...

bela releitura, átila. o poema ficou ótimo e bem contemporâneo. parabéns!

obrigada pela visita :)

bjs,

P.

Cristiane disse...

Átila,
Agradeço imensamente sua agradável visita, e peço que volte sempre. Estou levando o seu link, assim volto mais vezes ok?
Que tal conhecer a cidade onde moro? Está no post de hoje.

Um fim de semana iluminado, Cris

Frαncy; disse...

Bom, tenho que, primeiro, me desculpar pela demora para retribuir seu comentário, e dizer que adorei seu blog também!

E, sem dúvida, adorei o poema.
Uma realidade da qual não me orgulho...

beijo!

Camila :) disse...

*--* tu fez poesiaa pra mim?
oiaa q massa
logicoo q kero veer
email: camycolossi@hotmail.com

ameeei esse novo contexto
ficou ótiimo ,
bejoo

Camila :) disse...

hehe poema pro pavarotti xd *--*

Késia Maximiano disse...

Sabe que ele ia adorar ler o seu poema?

Bjs

Ana disse...

parabéns pelo lindo poema!
e q passarinho mais fofo XD
adorei!
bjxxx

^^