Conheçam a Saga Vale dos Elfos.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Alma Negra.


Minha alma é má,
É negra, é triste,
Sente dor.
Sente falta
Do teu amor.

Minha alma é negra
Como uma triste flor,
Que resiste ao inverno,
Seca, murcha, triste,
Solitária, melancólica,
E vivendo
Uma grande dor.

Minha alma
Tornou-se má,
Tão quanto frio
Tornou-se
Meu coração.
Quando tentava
Provar-te meu amor.
Quando tentava
Provar-te
Minha devoção.

Minha alma
É um poço escuro.
Uma caverna
De solidão.
Um abismo frio
E sem vida.
Um lugar remoto
De dor e desilusão.

Assim é minha alma,
Envolta em neblina densa.
Envolta na neblina da paixão.
Cega por um grande amor.
Mergulhada em uma
Grande escuridão.

Essa é minha alma negra,
Que um dia foi branca,
Como as nuvens
De um dia de verão.
E que escureceu
Por perder as esperanças.
Escureceu por viver na solidão.
Escureceu pela vida sem amor.
Escureceu pela falta de emoção.

Essa é minha alma negra,
Mais negra
Que a própria escuridão.

Átila Siqueira.

"Coloquei hoje esse poema no blog, devido ao comentário de meu amigo Cristiano, poeta mineiro, residente aqui na cidade de Belo Horizonte. Ele leu esse antigo poema, de meu primeiro livro de poesias, e gostou muito. Assim, decidi postar o poema, e aproveito para indicar o blog dele: Tecnolite".

29 comentários:

naná disse...

Hola amigo, no sabes cuánto significa leer este poema para mi hoy, me siento acompañada con mi alma sola.
Un beso.
naná

Fee disse...

É assim que a gente sente, às vezes, essa dor própria de um ato de auto-comiseração, por causa de uma decepção que a gente julga ser quase um apocalipse-próprio. A gente se complica amando e acaba botando cargas não devidas ao sentimento e é bem aí que, na maioria das vezes, esse breu toma conta da gente. Ainda assim, antes, durante e depois, o amor é o que buscamos mais.
Lindo poema.
Não se preocupe em se desculpar pelo sumiço. É assim mesmo! rsrs
Agradeço em meu nome e por minhas amigas, a sua atenção. Visite o meu blog pessoal também: Fernandices

Um abraço grande.

FRAN "O Samurai" disse...

Olá amigo Átila.

Bacana seu poema, sabe que já passei por momentos em minha vida em que tudo me deixava de saco cheio, vivia de mau com a vida e tudo mais. Do tipo, meu coração se tornou negro para o mundo. Meus 18 anos foram assim.

Uma fase negra (mas não era gótico). Hehehe.

Abraço e excelente poema.

Inominável Ser disse...

A Alma Negra, A Ponte Do Abismo, uma ode aos oferecidos gratos tamanhos dos nossos sentimentos obscuros, aqueles estados internos que permanecem vagando à superfície de nossas consciências, os monstros que domamos, o Eu Interior Indomável que quer libertar-se, queremos libertá-lo, queremos deixá-lo livre, mas temos que domá-lo, temos que domá-lo, temos que domá-lo...

Mai disse...

Oi, Átila.

Tu sabes o que penso sobre todas as coisas estarem em nós.
assim minha alma é negra e alva...
há horas que mais a um e noutras ao outro polo.

belo poema. Muito belo.
Interessante que apesar de falar de um certo tormento, não senti densidade.

Será que a alma do Poeta neutralizou a outra 'obscura alma'?


Abraços, Poeta.

Kakau disse...

Quanta tristeza. Realmente passamos por fases em que nos sentimos assim. Mas o bom é que uma hora a claridade, a felicidade ressurge ^^


Beijos
=***

Carla Silva e Cunha disse...

ola
sera que podes votar no concurso que a minha irma (Claudia cunha) esta a participar.
so tens que ir a www.avanessaguerradesafio.blogspot.com e deixar uma mensagem.
se possivel passa por la
beijinhos

Carla Silva e Cunha disse...

ola
voltei para te agradecer o voto e acabei por ficar a ler este poema
é forte e belo
num ou outro momento acho que todos nos sentimos assim, porém, poucos conseguem passar as emoções para o papel
beijinhos
obrigado
a minha irma vai ficar toda contente

Ana disse...

miguxo, lindo poema, mas como vc sabe bem, mto triste, hehe

mas mto perfeito, adorei =D
obrigada pelo selinho
hehe

saudades d tc com vc no msn


bjxxxx

Pelos caminhos da vida. disse...

Qta tristeza nessa Alma Negra,belo poema.

Otimo domingo Átila.

beijooo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem premio la para vc.

beijooo

Frαncy; disse...

Átila! Eu adorei o poema. Como disseram, meio triste, mas muito bonito e bem escrito!

"Escureceu pela vida sem amor."
*-*

Adorei essa frase, em especial. Talvez por pensar que vida não é vida sem amor, independente de que amor seja (:


beijo!
ps: seus comentários em meu blog sumiram, haha!
ps²: como eu disse, colocarei outra propaganda sua na parte fixa do blog, assim que eu o atualizar!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

ESte poema ficaria muito bem no meu Blog Gótico.
Átila:
Postei no Galeria. Não há novidades nos outros Blogs, a não ser no Gótico e no Tristão. Mas, por favor, vá ao Galeria e deixe sua opinião lá e não em outro Blog.
Um abraço,
Renata

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Já publiquei o seu poema no Gótico.
Um abraço,
Renata

L. Malloy disse...

Acompanha o meu blog, por favor.

L.

Cadinho RoCo disse...

Mas ainda que negra a alma não se coloca imune à decifração. Se é assim, resta ainda uma esperança.
Cadinho RoCo

Luciana disse...

Oi Amigo, obrigada por todos os comentários no meu Blog, mas hoje vai ser difícil responder a cada comentário teu, pois amanhã dia: 27, vou para o hospital fazer minha cirurgia e não tenho previsão de alta, deixei recado em todos os meus Blogs, espero voltar logo para casa e continuar fazendo o que eu amo que é postar, preciso descansar hoje pois, amanhã tenho que estar bem, adoro todos vocês que visitam e gostam do meus Blogs pois, quando eu posto não penso só em mim, mas penso em ajudar as pessoas a acharem filmes, músicas, mensagens enfim tudo que estiver relacionado com as coisas boas da vida.
Vi o teu poema no Blog da Renata Cordeiro o Blog Gótico e amei, eu fiz um Blog só de mensagem e divulgo na página do Blog algum poema, poesia da pessoa, depois que eu voltar para a casa eu posso colocar esse poema no meu Blog de Mensagens?


Grande abraço amigo.

Da tua amiga

Luciana.

sagitario disse...

cheguei ao seu blog, através do gotico da renata de quem sou assidua.
Gostei do seu poema é realmente muito bem escrito e toca-nos bem fundo.
Por isso se não se importar vou voltar mais vezes, pois gostei bastante do que vi

Luciana disse...

Oi Átila, muito obrigada pela força é amigos assim que deixam a vida da gente mais feliz, te linkei no meu outro Blog para acompanhar as tuas postagens.

Fica com Deus.


Bjs amigo e até a volta.

. fina flor . disse...

toda alma é um pouco escura e um pouco clara, cher, essa é a graça ;o)

beijos e boa semana

MM.

Conde Vlad Drakuléa disse...

Genialíssimo Átila, muito, muito bem feito e forte! Adorei!

Luciana disse...

Amigo, já estou ótima graças a meu excelente médico, só tenho revisão na semana que vem, foi uma cirurgia super simples.

Abraços.

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia amigo.

Tem selinho la para vc.

beijooo.

Chris disse...

Triste e bela a forma de retratar a tristeza de um amor que não encontra o seu par no mesmo nível e ritmo.
Bela poesia
Divulgue mais aqui mesmo, as poesias do seu livro, muito bela.

Bjs no coração
Tem selinho pra vc, na lateral do meu blogue, Sobreviventes ao Romantismo.

YuriKing disse...

atila,vc pode me ajudar?o meu blog anda meio vazio desde q vc saiu...
intao vc pod divulgar um poko?

http://fanbooks.blogspot.com

se puder,cria uma psotagem divulgando?

Miguel Barroso disse...

Muito bom.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Luciana disse...

Oi Átila, não precisa me agradecer pelo teu poema no meu Blog eu só coloco o que realmente acho lindo e o teu poema é lindo, adoro tudo que é Gótico, Triste, tem pessoas que me criticam por isso, mas é meu gosto pessoal até das minhas roupas( que eu adoro usar roupa preta) falam, mas muitas vezes eu estava com roupas claras e estava péssima.
Amigo, se tu quiser qualquer coisa dos meus Blogs pode pegar não tem problema nenhum pois, eu gosto de dividir tudo que eu pesquiso com meus verdadeiros amigos, acho que isso é a verdadeira amizade.

Grande abraço e uma excelente quinta-feira.

Luciana disse...

Fico feliz que tu tenha gostado do teu selo no meu Blog foi mais que merecido.

Abraços.

Nana B. Poetisa disse...

Deliciosamente triste e apaixonadamente...verdadeiro.

Lindo, de verdade.

bjm
Nana